terça-feira, 20 de outubro de 2009

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

2. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO
Nome: Escola Estadual de Ensino Fundamental Dirceu Moreira
Endereço: Santa Silvana – 6º Distrito
Cidade: Pelotas
Estado: Rio Grande do Sul
Cep: 96110-000
Telefone: 53 3285 9083
E-mail: eeef.dirceumoreira@gmail.com
Equipe Diretiva: Guilherme Mateus Bourscheid
Maria Goreti Carvalho Ferreira
Modalidade de Ensino: Ensino Fundamental
3. HISTÓRICO DA ESCOLA
A Escola Estadual de Ensino Fundamental Dirceu Moreira está localizada ao norte de Pelotas na comunidade de Santa Silvana – 6º Distrito, distante a 50 Km do centro da cidade, faz divisas com os municípios de Arroio do Padre e Turuçu.
Santa Silvana tem desenvolvimento baseado na produção agrícola destacando-se a cultura de hortaliças e de fumo. Começa a despontar o potencial leiteiro, mas ainda muito tímido.
A Escola atende a comunidade desde 1946 e tem importância fundamental no desenvolvimento social dos moradores participando sempre dos momentos de confraternização e de dificuldades da comunidade.
4. FILOSOFIA DA ESCOLA
A Escola Estadual de Ensino Fundamental Dirceu Moreira está voltado para uma educação libertadora, formadora de sujeitos solidários, participativos, críticos e humanitários na perspectiva da construção de uma sociedade justa, democrática e humanista. Esta educação deve ser a base do desenvolvimento social, entendido como socialmente justo, economicamente viável, ambientalmente sustentável, solidário e igualitário, que considere o homem e a mulher em sua relação com o meio e com os demais.
5. OBJETIVOS
Proporcionar uma escola dinâmica, coerente, em constante busca pela qualidade de ensino, através de uma educação contextualizada e crítica, preparando e incentivando o educando ao exercício da cidadania;
Garantir que os educandos compreendam o processo de organização da sociedade sendo conscientes, críticos, participativos, solidários e justos em suas contribuições, intervenções e transformações da sociedade.
Estimular os educandos na construção de seus conhecimentos de forma dialética e entendendo que não há tempo para aprender seduzindo-os à continuidade dos estudos, pois conhecimento nunca acaba.
6. FINALIDADES
A Escola tem como finalidade garantir o acesso ao Ensino Fundamental para todos e permanência na escola com aprendizagens significativas como exigência do desenvolvimento social da comunidade de Santa Silvana.
A proposta da Escola esta voltada a atender à demanda das comunidades escolares, articulando as informações e conhecimentos que possam servir para alcançar o projeto de desenvolvimento local e criar condições para melhor qualidade de vida.
7. ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA DO CURRÍCULO
O currículo é um processo dinâmico, aberto e flexível, onde os envolvidos no processo da educação são vistos como sujeitos, cidadãos. Procura assegurar o comprometimento de toda a comunidade na história com a sociedade e a cultura local, bem como contemplar a criatividade, a curiosidade, o conflito, as contradições e as diferentes concepções, fatores estes que envolvem a construção do conhecimento.
À escola cabe assessorar os professores para que possam desenvolver um trabalho didático específico com estes alunos, o qual assegure o crescimento dos mesmos.
8. METODOLOGIA DE ENSINO
Na construção do conhecimento, o suporte metodológico são os Temas Geradores tendo a interdisciplinaridade como condição para o desenvolvimento de uma educação que prepara cidadãos competentes para todo o ambiente em que vivem e não apenas para o trabalho em si.
Conhecimento universal compreendido como um direito de todos, construído coletivamente como processo de desvelamento, apreensão e transformação da realidade e mediado pelo contexto histórico social.
O currículo das séries iniciais é desenvolvido sob forma de atividades a partir de situações concretas.
O currículo das séries finais, 5ª, 6ª, 7ª e 8ª é desenvolvido sob forma de áreas de estudo, onde as disciplinas se integram visando o equilíbrio entre experiências concretas e conhecimento adquiridos.
Construção do conhecimento comprometido com a transformação social, referenciado na realidade histórica, em interação com os diferentes saberes e valorização da cultura popular.
As práticas educativas, democráticas, participativas e dialógicas como pressupostos do processo de construção social do conhecimento.
Os alunos portadores de necessidades educacionais especiais, de acordo com a sua especificidade, têm o currículo trabalhado de forma diferenciada.
A temporalidade flexível do ano letivo está prevista para que os alunos, com necessidades educacionais especiais, possam concluir em tempo maior o currículo previsto para a série que estão cursando.
9. PROPOSTAS
Criação do Parque Infantil para que as crianças possam brincar e desenvolver suas habilidades motoras e disponibilizá-lo à Comunidade nos finais de semana
Melhorar o espaço físico do pátio da escola organizando o campo, criando a quadra de arreia, inserindo mesas com bancos para a prática de jogos didáticos ao ar livre, novos jogos como o spiribol e bancos para o descanso nos intervalos escolares;
Conscientizar a todos à conservação do patrimônio Escolar de forma que possa ser utilizado com segurança e em benefício de todos;
Oportunizar acessoria pedagógica e administrativa para a criação da feira de produtos hortigranjeiros na escola;
Valorizar o esporte, o jogo, a brincadeira, a competição através da organização das olimpíadas da Escola Estadual de Ensino Fundamental Dirceu Moreira;
Lutar cada vez mais pelo aumento da permanência e avanço escolar e rejeitar sob todas as formas a exclusão social e o preconceito;
Estimular, valorizar, construir espaços e fortalecer os valores artísticos da Comunidade Escolar com caráter educativo;
Estimular os educandos a organizarem-se em Grêmio Estudantil a fim de oportunizar a eles um espaço para discutirem seus propósitos e construírem na prática a valorização do associativismo e da participação em comunidade.
Promover atividades em parceria com o CPM, Conselho Escolar e Grêmio Estudantil, objetivando a integração e fortalecimento da Comunidade Escolar;
Promover atividades comunitárias, em parceria com o CPM, Conselho Escolar e Grêmio Estudantil, objetivando a integração e fortalecimento da cultura e dos artistas/artesãos locais;
Construir, com CPM, Conselho Escolar e Grêmio Estudantil, espaços de integração com a comunidade;
Organizar o clube de mães a fim de estimulá-las a participarem mais constantemente da vida social da Escola;
Promover parcerias com entidades a fim de promover a recuperação e conservação do ambiente;
Melhoria dos espaços pedagógicos oportunizando uma melhor aprendizagem;
Desenvolver uma pesquisa da realidade da comunidade e em especial da comunidade escolar a fim de conhecer e melhor compreender o local que a escola está inserida;
Promover o embelezamento da área escolar;
Construir um rancho crioulo para abrigar festas da comunidade escolar;
Organizar viagens de estudo a fim de possibilitar o aluno e a aluna um melhor conhecimento da realidade e do contexto social;
Promover o planejamento integrado do trabalho dos profissionais da educação através de reuniões pedagógicas e encontros de estudo;
Em conjunto com a comunidade reivindicar mais horários de ônibus na linha Pelotas (centro) – Santa Silvana (6º Distrito) para que professores e profissionais da área da saúde possam vim trabalhar na comunidade (benefício também estendido à Colônia Osório);
Auxiliar ao aluno perceber a articulação entre o conhecimento empírico e o conhecimento científico;
Estimular aos alunos a utilização de recursos materiais que auxiliem na sua formação intelectual;
Promover a melhoria da auto-estima dos trabalhadores em educação para que possamos trabalhar com afinco na construção dos nossos objetivos educacionais;
Estimular a solidariedade às lutas sociais e melhores condições de trabalho na agricultura;
Recuperar a água do poço que abastece a escola;
Promover a recuperação e preservação dos mananciais hídricos da região e do meio ambiente como um todo;
Criar espaços de comunicação para a prática da expressão oral e corporal, da leitura e da experimentação científica;
Buscar recursos para o desenvolvimento da inclusão digital;
Criar projeto de aprendizado e estímulo do jogo de xadrez;
Investir sempre no acervo literário e didático da Biblioteca Escolar;
Elaborar as normas de convivência, no início de cada ano letivo por todos envolvidos no processo, e publicá-las como regimento interno.
10. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ESCOLA
A escola desenvolve uma avaliação contínua, diagnóstica e investigativa de todas as suas realizações, face aos objetos expressos neste projeto.
A avaliação da escola abrange duas etapas
- Avaliação interna de cada atividade realizada pela Escola;
- Avaliação global da Escola, no final do ano letivo, por toda a Comunidade Escolar, projetando o ano seguinte.
11. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Acreditamos que, dessa forma, poderemos construir uma Escola comprometida com a formação pedagógica qualificada e inserida na comunidade, de um educando consciente e participativo, de pais envolvidos com a Escola e comprometidos com a educação de seus filhos, de trabalhadores em educação comprometidos com a construção dessa Escola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário